Ponto de Vista
É relativo

Obstáculos aparecem para todos o tempo todo, individualmente ou não, e é o caminho que tomamos para superá-los que determina o nosso caráter e a nossa grandeza. Ter um ponto de vista não é o bastante; ter o ponto de vista correto, sim.

Who?
Um de um todo.

Eu sou um monte de coisas, e coisa nenhuma... Eu prezo os meus amigos, a lealdade entre eu e eles e almejo uma vida ideal com uma moça ideal (como se isso fosse algo inédito pra alguém) Nome: Victor Augusto Cardoso Osório.

More?

Andando pra pensar
São, neste mundo louco.

Chiku no Genkaku
Strange Performed
Ouvir Lune
Vaso de Planta

Sinta-se livre para divulgar
Sinta-se livre.




À nostalgia
E ao desenvolvimento contínuo.

Outubro 2007
Novembro 2007
Dezembro 2007
Janeiro 2008
Abril 2008
Maio 2008
Junho 2008
Outubro 2008
Dezembro 2008
Fevereiro 2009
Maio 2009
Agosto 2009

Considerações finais(finais?)
Meu céu.

O B R I G A D O


Fim da primeira fase.
When? sexta-feira, 18 de janeiro de 2008


Eu não tinha pais.
Eu adotei o céu e a terra como meus pais.

Eu não tinha casa.
Eu adotei estar consciente como minha casa.

Pra mim não existia vida e morte.
Eu adotei a respiração e a aspiração como vida e morte.

Eu não possuía meios.
Eu adotei a compreensão como meu meio.

Eu não possuía habilidades especiais.
Eu adotei a moral como minha habilidade especial.

Eu não possuía olhos.
Eu adotei ser rápido como a luz como meus olhos.

Eu não possuía ouvidos.
Eu adotei a sensibilidade como meu ouvido.

Eu não possuía membros.
Eu adotei a agilidade como meus membros.

Eu não possuía estratégias.
Eu adotei não desvanecer de pensamento como minha estratégia.

Eu não possuía projetos.
Eu adotei prever oportunidades como meu projeto.

Eu não possuía princípios.
Eu adotei me adaptar às situações como meu princípio.

Eu não tinha amigos.
Eu adotei meu coração como meu amigo.

Eu não possuía talentos.
Eu adotei ser persistente como meu talento.

Eu não possuía inimigos.
Eu adotei a imprudência como minha inimiga.

Pra mim não existia milagre.
Eu adotei levar a vida corretamente como milagre.

Eu não possuía corpo.
Eu adotei a paciência como meu corpo.

Eu não possuía armadura.
Eu adotei a compaixão e a solidão como minha armadura.

Eu não era iluminado.
Eu adotei a determinação como minha iluminação.

Eu não possuía espada.
Eu adotei a ausência de ego como minha espada.



É um poema sobre o caminho do guerreiro (bushido) escrito por um samurai no século XV.

Rach was here. -
13:18


3 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

*não aguenta ler tudo*

AAARGH!! Que agonia!!
É tudo "Eu não tinha ... ...Eu adotei ... como ..."!!

OK, o significado de cada estrofe é bonito demais, mas bem que esse cara podia aprender um pouco com o parnasianismo!!

ASS: O Anônimo Indefinido

19 de janeiro de 2008 10:01  
Blogger Rach disse...

Sátira idiota e irrelevante:

"Era uma casa muito engraçada:
Não tinha teto,
Não tinha nada..."


Ria! >XD

19 de janeiro de 2008 10:09  
Blogger Mila Botto disse...

esse poema é muito lindo e muito profundo.

21 de janeiro de 2008 19:28  

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial